Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2016

Ninguém disse que era fácil...

Namorar, casar, ter filhos (não necessariamente nesta ordem, até porque eu própria baralhei um bocadinho as coisas) e depois viver feliz para sempre... ou não! Nestes últimos dois anos vi amigos separem-se a quem eu nunca imaginei que tal pudesse acontecer... de todas as vezes que a notícia me chegou fiquei profundamente triste e olhei para dentro... 
"Nobody said it would be easy"... e não é que é isto mesmo! Mas é igualmente verdade que só cada um (ou dois) pode decidir se vale a pena continuar ou não, e eu não estou aqui para julgar ninguém, mas tal como escreveu Patricia Motta Veiga aqui  "o casamento não é para xoninhas ".
Dá trabalho, é exigente, requer atenção e grandes doses de paciência. Os filhos complicam mais do que se imagina e o resto da família pode atrapalhar muito... mas nada que as nossas mães, e as mães das nossas mães, não nos tivessem avisado...
Confesso que depois de alguns desamores, casar e ter filhos não fazia parte dos meus planos... mas …

Clássico e Kitsch (o meu mix preferido)...

O modelito de hoje mistura uma saia plissada clássica (que por sinal tem 30 anos e era da minha mãe) com uma t-shirt do Mickey e da Minnie (que me custou 1,90€) e é muito kistch!

O resultado é este, com o qual muito me identifico! Adoro fazer estes mixes e sair à rua muito confiante nas minhas escolhas, mesmo que mais ninguém aprecie!


Dias para ser do contra...

Sou por natureza uma pessoa optimista e acordo (mesmo só falando com alguém depois de tomar café), quase sempre com vontade de “agarrar o dia pelos cornos”... mas há dias, poucos, que só me apetece ser do contra, não falar com ninguém (mesmo depois do café) e se possível não ver ninguém...
Hoje é um desses dias, e percebi isso mal o despertador tocou às 7h da manhã, pois o meu primeiro pensamento foi: não vou...mas fui, porque acima de tudo sou uma mulher de palavra!
Sempre me questionei o porquê de acordar “com a telha”, e até hoje, mesmo depois de pensar várias vezes no assunto (não mais que 5 minutos de cada vez), nunca percebi porquê! E se me perguntam porque estou mal disposta, a resposta é sempre a mesma: não sei! E não, não estou com o período!
E como para além de ser uma mulher de palavra também sou responsável, a ideia de ficar enclausurada em casa sozinha a ouvir um bom “shake” está fora de questão, por isso, SIGA, que ainda tenho pelo menos 12h de trabalhos árduos (qual Hé…

Os (meus) modelitos de verão...

Estamos de volta com mais um modelito de Verão! Já aqui falei dos vestidos e dos calçonetes, hoje falo de lenços na cabeça!
Sou doida por sapatos, carteiras (o problema com as carteiras, é que depois não tenho paciência par mudar todos os dias) brincos, lenços e écharpes!
E porque me deitei com o cabelo molhado (depois de ter ficado a praiar outra vez até as 10 da noite), no dia seguinte parecia uma louca acabadinha de meter os dedos na ficha, e por isso, tive que por um lenço na cabeça para poder sair minimamente decente à rua! O resultado foi este! Gostei!

“Vale a pena lutarmos pelos nossos sonhos”...

Estas foram as palavras de Telma Monteiro após ter ganho a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Brasil. Subscrevo e desde que me conheço que luto por aquilo que sonho, até porque desde muito nova que ouço a música “o sonho comanda a vida”, e para quem ainda não sabe, sonhar faz bem à alma e alimenta o espírito.
É este o lema da minha vida e é isto que procuro ensinar aos meus filhos, que vale sempre a pena lutar por aquilo que querem e sonham, mesmo que a recompensa não seja a esperada, pois o caminho que percorreram ensinou-lhes alguma coisa e deu-lhes novas competências. Mas também não quero que se transformem numa daquelas crianças, futuros adultos, que acham que conseguem tudo a qualquer custo, sem olhar a meios...só porque lhes foi dito para lutarem!
Quero que aprendam o valor das coisas e que o esforço recompensa sempre, tendo em mente o respeito pelos outros e que para tudo há um limite.
A vida não é fácil, viver dá trabalho, mas esse é que é o gozo! No entanto, acho que …

(Re)começámos...

Finalmente tirei as sapatilhas do armário (que já estavam cheias de pó) e pus as pernas a mexer (que estão muito enferrujadas), mas devagar, devagarinho, que isto de partir um pé em 3 sítios demora o seu tempo a ficar 100%.
Desde há uns bons meses que pouco ou nenhum exercício fazia e todo o meu corpo já se ressentia disso. As pernas doem-me, sobretudo à noite, por causa da má circulação, o rabo está flácido e a falta de ar, ao mais pequeno esforço, era imediato...
(Re) começámos hoje... 2km de passos rápidos para habituar as pernas e o pé, e aprender a respirar outra vez... Sem os miúdos por cá é mais fácil, mas prometo, a bem da minha saúde, que me vou organizar para poder continuar a mexer-me todas as manhãs, mesmo quando a escola começar...
A minha inspiração vem daqui (Fit40)... cujo diário leio todos os dias para não me dar à preguiça e ter vergonha!

A importância dos amigos (quando se está longe)....

Os Amigos sempre tiveram um papel muito importante na minha vida! Não tenho muitos, mas tenho muito bons Amigos, alguns deles há quase tantos anos como eu (lembrem-se que tenho 40 (e dois)), outros mais recentes, mas não menos importantes! A falta da presença física dos amigos (porque no coração estão sempre) foi uma das coisas que mais me custou quando saí de Portugal. O não poder ligar para um café ao fim do dia, não poder marcar um jantar à sexta à noite em 10 minutos (talvez 30 minutos), ou não ter o Domingo à tarde com a casa cheia, com os amigos e os filhos dos amigos, foi muito difícil e algumas vezes doloroso...
Estes muito bons Amigos, são os amigos que escolhi, e que tive a sorte de me escolherem, para partilhar as aventuras e as desventuras desta vida! São estes que têm estado ao meu lado nos dias mais felizes, mas também nos mais tristes! São estes a quem a distância não causa estragos, nem apaga o sentimento! A prova disto é que todas as vezes que regressamos a Portugal,…

Férias (de filhos)...

Nesta altura de Verão e de férias escolares, tenho lido por aí que fazer férias de filhos faz bem a uns e a outros! Verdade, verdadinha!
Desde que nos mudámos para Malta, que todos os anos este ritual se repete! No fim da primeira semana de Agosto, depois de 3 semanas de férias a infernizar a vida uns aos outros, viajamos todos até à Tugolândia para deixar os pirralhos com os avós paternos (que a avó materna já os atura o ano inteiro). Os meus filhos adoram estar com os avós, que por sua vez, estão cheios de energia, paciência e muita vontade de estar com eles também! A melhor parte é que no fim deste mês, estamos todos cheios de saudades e vontade de não nos largamos mais até ao próximo Verão.
Na mesma idade, este era também (quase até entrar na Faculdade), o meu plano de férias. Um mês de praia com os meus pais e irmãos, e um mês na aldeia com os meus avós! Adorava! E não tenho dúvidas que os meus filhos também adoram estas férias, porque sempre que se aproxima a data de regresso…

10 Anos a ser mãe...

10 anos a celebrar um dos dias mais felizes da minha vida e o único desejo que tenho é poder celebrar este dia vezes sem conta... 10 anos aprender ser tua mãe e ainda tenho tanto para aprender... São 10 anos de muitas alegrias, algumas lágrimas e ultimamente também algumas desavenças próprias da idade e de um pequenote que se quer fazer gente... Quero para ti hoje, o mesmo que quis no dia em nasceste, que sejas feliz, contigo, connosco e com as escolhas que fizeres... Quero poder ajudar-te a crescer e contribuir para a tua felicidade... Quero estar sempre ao teu lado, mesmo quando já não precisares de mim... Serás sempre o meu primeiro amor, o filho homem que desejei desde o primeiro segundo...
Parabéns meu Amor!

Eu tenho o melhor irmão do mundo...

Quando há 31 anos atrás a minha mãe me disse que eu ia ter outro irmão, confesso que não achei piada nenhuma e depois de algum tempo a matutar no assunto pensei: "já que vou ter outro pelo menos uma rapariga, não"? O certo é que bem vistas as coisas até foi melhor assim, pois continuei a ser a única rapariga e com isso todos os privilégios associados. Quando ele nasceu fiquei um bocado confusa, a diferença de idades é de 11 anos e com esta idade, já não me apetecia ter que dividir fosse o que fosse com um pequenote, a quem toda a gente achava imensa graça, não fosse ele o caçulinha da família...
O pequenote cresceu e também eu comecei achar-lhe piada (muito embora o ritmo dele fosse um bocadinho acelerado demais para mim) e meu amor por ele também cresceu, cresceu e cresceu... Hoje completa o seu 31 aniversário e eu não podia estar mais feliz por ter este irmão (infelizmente os outros já faleceram) e os meus filhos um tio maravilhoso! Tenho um orgulho enorme no adulto que s…

Amor/Ódio (malas)...

Fazer malas é uma relação de Amor/Ódio! Amo saber que tenho de fazer malas porque significa que vou "laurear a pevide" (como se diz na minha terra)! Odeio ter de as fazer x 4! 
Escolher roupa para um mês para os meus dois pirralhos não é nada fácil, sobretudo porque já sabem o que querem vestir e não param de reclamar se ponho a t-shirt amarela ou vestido azul, porque a que ele quer é a t-shirt do Star Wars, que acabou de ir para lavar porque a usou na noite anterior e está cheia de gelado, e ela quer o vestido das flores cor-de-rosa porque é uma princesa  e as princesas usam vestidos cor-de-rosa! 
Ou então, quando pergunto ao meu marido qual a roupa que ele quer levar e ele responde: "escolhe tu, qualquer coisa serve" e depois reclama porque não trouxe o polo azul mas sim o amarelo e me esqueci de por as meias... Quando chega a altura de fazer a minha, já estou pelos cabelos, e quando chego ao destino percebo que nada combina com nada, muito embora tenha trazido …

Feito por mim...

Andava já há uns tempos com a ideia de fazer um saco de praia, mas ainda não tinha encontrado o tecido certo! Depois de ter visto o saco em serapilheira de uma amiga, fez-se luz e tudo se compôs na minha cabeça! Aqui fica o resultado! 

Socorro, tenho um filho pré-adolescente...

Esta mãe está à beira de um ataque de nervos porque descobriu que tem um filho pré-adolescente, daqueles cuja última palavra tem de ser sempre a dele! Sempre achei que ser "mãe não era para piegas, porque dá trabalho e muito, porque desafia todas as leis, incluindo as da gravidade, porque nos põe à prova como seres humanos todos os dias e não vem com manual de instruções!
Lembro-me que quando vi o meu filho pela primeira vez, respirei fundo e pensei: "bolas, isto agora é a sério! Será que vou saber fazer isto?"
Passados quase 10 anos (a completar neste mês de Agosto), confesso que só agora comecei a duvidar das minhas capacidades como mãe! Estas férias descobri que tenho um filho pré-adolescente e que isto não é nada fácil! Nunca faz nada do que lhe peço à primeira e quando faz, já depois de muitos pedidos, resmunga, nunca nada é justo, nunca nada está bem ou é do seu agrado, tem sempre resposta para tudo e acha que já manda, sobretudo na irmã.... Socorro! Acho que não…