Avançar para o conteúdo principal

Olá Setembro...

Setembro já nos entrou pela porta dentro, o que para mim (e para todas as famílias com filhos) significa fazer contas e multiplicar o orçamento, no nosso caso x 2. Por cá temos de comprar os livros, o material escolar, mas também os uniformes. Alguns livros dão de um ano para o outro, outros têm de ser novos, com sorte a maior parte do material escolar ainda se aproveita, mas no que diz respeito aos uniformes, sobretudo para ele que este ano já vai usar blazer e gravata, têm de se renovar... e esta conta vai doer! Vou ver que livros consigo aproveitar dele para ela e tentar comprar algumas peças do uniforme em segunda mão, como o blazer, que é caríssimo, pois geralmente a escola faz uma feira de uniformes em segunda mão, mas que estão em muito bom estado.

Os livros não são tão caros como em Portugal e no colégio usam muito as fotocópias, de modo a que as crianças possam escrever e fazer os trabalhos directamente nas fichas, poupando desta forma os livros que podem ser reutilizados.

A tudo isto juntam-se as mensalidades do colégio, ballet e karaté! Setembro é um mês de recomeços e de organizar um novo ano, mas é também o mês onde a penúria e a felicidade se misturam descaradamente... Alguém mais que partilha desta penúria e ainda assim fica feliz por ver as crianças de mochila às costas?

Bom... certo é que não há como fugir, por isso vamos lá (re)começar com os pés bem assentes e muita energia!



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Fim da escola/ vivam as férias (ou não)....

Amanhã acaba o colégio! Amanhã começam as férias grandes! Para muitos pais isto é uma dor de cabeça... nós, mais uma vez, temos a sorte de ter duas avós maravilhosas que tomam conta deles, para grande alegria dos miúdos e das avós e, descanso dos pais.
O mês de Julho ficam na ilha com a avó Zezinha, vão a banhos todos os dias, têm aulas de natação logo pela manhã, brincam como lhes apetece e ficam tão cansados que à noite é vê-los tombar. O mês de Agosto vão a Portugal e ficam à responsabilidade da avó Barbara, adoram lá estar, fartam-se de passear, e na hora da despedida pedem sempre para ficar mais uns dias. Entre uma avó e outra passam 3 semanas com os pais. Depois, pais e filhos descansam uns dos outros, a avó Zezinha recupera as forças, e no início de Setembro voltam à ilha para se prepararem (que depois de 2 meses de boa vida é precisa muita mentalização) para mais um ano escolar, fazem revisões da matéria dada, compram-se os livros e materiais, mas continuam a ir a banhos até …

Vamos falar sobre as minhas unhas dos pés?

Há cerca de um mês recebi mensagem privada, que destas coisas não se fala em público, sobre o facto de andar com as unhas dos pés por pintar enquanto publicava looks do dia e usava as hashtags #fashion e #blogger, aproveito para dizer que as das mãos também andam a maior parte das vezes por pintar, caso não tenha reparado!

Quer-me parecer que pintar ou não as unhas, independentemente do que publico e das hashtags que uso, ainda é algo que só a mim me diz respeito. Ainda... Se fica feio ou não, isso já é outra conversa, e tenho de concordar que tanto os pés como as mãos ficam mais bonitos com as unhas pintadas. Dito isto, e em minha defesa, tenho que acrescentar que o facto de não ter as unhas pintadas não significa que não ande com os pés e com as mãos arranjadas. O mesmo não se poderá dizer de muito pé que circula por aí alegremente de unha pintada, enquanto que o pé, ele próprio, carece de muito cuidado...

Já agora (há sempre um já agora) aproveito também para dizer que é raro pint…

A decisão mais maluca que já tomei...

Setembro marca nosso “novo ano”. O inicio do ano lectivo vem sempre acompanhado de coisas novas, novos objetivos, novos desafios e muitas expectativas, não só para os miúdos, para mim também, e este ano eu tomei a decisão mais maluca de sempre!

Vou passar um ano sem comprar roupa! Eu sei que é de doida e, na verdade, não sei se vou ser capaz, mas uma coisa vos garanto, estou decidida a tentar! Ficam desde já salvaguardadas algumas situações, tais como casamentos e afins (e só se não conseguir reciclar) e casos de extrema necessidade por estrago ou velhice da peça.
Ando a pensar nesta ideia já há um tempo e depois de mais uma época de saldos, em que dei comigo a vaguear pelas lojas e a pensar que não precisava de nada, (embora tenha comprado algumas peças, mas muito poucas, e nessas estão os botins lindos de ontem) e mesmo que precisasse não tinha sítio onde pôr nem mais um par de meias, tomei esta decisão maluca!
Para além disto, cada vez mais me preocupa o sentimento “da felicidade…