Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2017

As Rainhas é que sabem...

A revista Activa noticiou ontem que a Raínha Letizia usou, num evento oficial, uns brincos da Parfois que custaram €5,99... diga-se de passagem que esta senhora tem muito bom gosto (e eu sou absolutamente fã dela), e sabe que o que é nacional é bom e barato!
Tal como ela eu também sou fã da Parfois, e para provar isso aqui está a minha última aquisição nos saldos, que também só custou €5.99 e faz um figurão! 
As Rainhas é que sabem! 

Já não se aguenta e ainda não chegou o dia 14...

Pelo amor da Santa, que já não se aguenta tantos corações vermelhos e ursinhos de peluche por toda a ilha! Parece a ilha do amor, de repente está tudo apaixonado e fofinho, ele é floristas, ele é papelarias, ele é supermercados, ele é restaurantes, ele é neons na rua, credo! É um “I love you” por todo o lado que não se pode! E eu lá quero que tu me “loves”? Eu não te conheço de lado nenhum...
E durante o resto do ano também se lembram que têm namorada(o) e/ou mulher/marido? Ou andam o ano inteiro a darem na tromba um ou outro e neste dia tão especial oferecem flores, corações e vão jantar fora e etc e tal? Ganhem mas é juízo e sejam namorados todos os dias menos neste, quanto mais não seja para serem originais!
Detesto o Dia dos Namorados, não só pelo consumismo, mas sobretudo pelos falsos amores que se celebram neste dia! O meu marido foi logo avisado desta minha aversão ao dia 14 de Fevereiro, não quisesse ele armar-se em fofinho e estragar logo tudo ali...
Giro, giro era os ursinh…

Crianças com personalidade forte ou malcriadas?

Hoje em dia é muito comum ouvir-se dizer “tem um personalidade forte, sabe bem o que quer”! Pois eu também sei e é por isso que muitas vezes discordo desta avaliação, até porque tenho uma lá em casa que também tem um personalidade muito forte, mas se me distraio passa rapidamente para o nível da “malcriada”...
Tem 6 anos e acha que sabe tudo, responde sempre com a convicção que está certa, tem sempre resposta para tudo, mesmo quando não percebe nada do assunto, chora e faz um ar muito infeliz quando vê o caso mal parado, e se deixarmos, ainda faz umas birras valentes...
Tenho que lhe dar crédito por tentar e ficar de certa forma satisfeita por ser uma criança com personalidade (é sinal que estou a fazer alguma coisa bem feita), mas se não estou atenta vai tornar-se numa daquelas crianças irritantes e malcriadas, que estão sempre de mal com tudo, que nada as satisfaz e que não conseguem ser felizes...
E isto assusta-me, até porque no fim-de-semana provei um bocadinho deste veneno, q…

O que fiz este fim-de-semana...

Nada, absolutamente nada (productivo)... dormi (12 horas de sábado para domingo), cozinhei e comi (muito bem por sinal), bebi (não muito) e vegetei (do verbo "Vegetar", que também significa viver, crescer, quando se trata de plantas, mas como eu sou uma flor, aplica-se), ora no sofá, ora na cama do meu filho (porque este rapaz gosta de companhia para estudar) et voilá “Segunda-feira outra vez”!
Sinto-me bem e mal... bem porque tenho aquela sensação de que descansei como deve ser, mal porque não fiz nada productivo, o que me aborrece um bocado porque me parece tempo perdido... Para ajudar, hoje de manhã não fui correr porque acordei com dores de garganta (depois da criançada doente, seria de esperar) e estou aqui quase a morrer com o peso da consciência...

Bom, o melhor mesmo é beber mais um café (e vão 3), por os óculos (para ver melhor) e ir trabalhar um bocadinho (mas com um sorriso nos lábios)! Prometo que o próximo fim-de-semana vai ser de arromba e cheio de coisas fant…

"Going grey..."

Ando nesta luta já há um tempo, pinto não pinto, faço madeixas não faço, deixo crescer o cabelo branco ou não deixo crescer o cabelo branco... (eu e as minhas crises existenciais)!

Quando cheguei à ilha estive quase 2 anos sem por os pés num cabeleireiro, porque tenho pavor de cabeleireiros, e como não conhecia nenhum não arrisquei... o cabelo foi crescendo naturalmente e pude perceber que já tenho alguns (bastantes) cabelos brancos...
Mas depois (de muito ponderar) lá arrisquei e muito bem, porque estou muito satisfeita com o trabalho, mas a verdade é que não tenho paciência para ir todos os meses pintar as raízes e intercalar com madeixas, deixa-me extremamente irritada porque tenho que o fazer impreterivelmente (e obrigações é uma coisa tão contra o meu feitio), para além de ter de passar pelo menos 2 a 3 horas sentada no mesmo sítio sem fazer nada... a juntar a isto tudo, tenho um cabelo muito fino e frizado, que fica bastante fragilizado com as tintas e com as madeixas... por is…

"Find yourself"....

Ontem li aqui sobre como viver no estrangeiro pode mudar a nossa perspectiva de vida e o que isso contribui para nos conhecermos melhor “you start to find yourself”.
Já aqui escrevi sobre a vida de emigrante e o quanto me custou largar tudo, da mesma forma que digo que não me arrependo de o ter feito. Mas o que a Eduarda escreveu é bem verdade... Não é uma coisa imediata, até porque no início tudo é novidade, mas ao fim de um certo tempo começas a questionar tudo, inclusive o teu lugar no mundo!
No meu caso, a ilha não é um sítio fácil para fazer amigos, até porque muita gente está de passagem, não têm tempo para criar laços, e não há o hábito de convidar os amigos para jantar em casa... se os dois primeiros anos não foram muito fáceis, agora não me posso queixar, pois tive a sorte de me cruzar com outros Portugueses, e alguns Espanhóis, que partilham os mesmos valores de amizade que eu, mas não sou a única a ter esta percepção da ilha e a dizer isto...
Ouvi, recentemente, da boca de…

Já fomos e já voltámos...

Estivemos em Viena este fim de semana (como se isto fosse novidade) e venho de lá consoladinha (como se diz na minha terra)... fui aos museus, vi gente bonita, comi maravilhosamente bem e conheci pessoas muito interessantes, tenho as baterias carregadas para mais uns meses aqui na ilha (ou talvez não, porque a próxima paragem é Berlim, já em Fevereiro)
E por agora vocês já devem estar a pensar que sou uma presunçosa arrogante, e que vou desatar a dizer mal da ilha a torto e a direito, mas não, não vou... viver na ilha é excelente, tem coisas maravilhosas e já aqui disse que para os miúdos é fantástico, mas depois faltam algumas coisas... faltam os museus de qualidade, onde podemos passar uma tarde inteira e voltar vezes sem conta, porque uma tarde não chega para ver 1/4 do museu... faltam os jardins, para correr e saltar, mesmo com neve... faltam as cafetarias, bonitas e com serviço de qualidade, sem nos levarem couro e cabelo por um café bom... faltam estas coisas assim, boas, e que…

Os filhos não são nossos...

Sempre ouvi a minha avó e a minha mãe dizerem que os filhos não são nossos, como assim? Mas, fomos nós que o fizemos, que os carregámos durante 9 meses dentro de nós, somos nós que os alimentamos, lavamos e educamos, e depois não são nossos!?
Esta semana cruzei-me com esta fotografia e fui assolada por esse sentimento, de estar a perder alguma coisas... eles crescem, rápido demais na minha opinião, e depois já não precisam que a mãe os carregue, que lhes dê de comer ou vá lavar as orelhas, e assim de repente temos esta sensação que nos começam a fugir e que de facto não são nossos... mas também é verdade que, no nosso caso, queremos e fazemos tudo para que fujam, para que sejam independentes e saibam fazer tudo sozinhos, e que corram por esse mundo fora felizes, sem nunca esquecerem quem são e de onde vêem...

Como muito bem escreveu José Saramago “filho é um ser que nos foi emprestado” para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeito…

De volta aos modelitos...

Já há muito tempo que não falo dos meus modelitos, mas hoje trago-vos uma edição especial, a saia de tule da mãe e as galochas vermelhas da filha! 
Fomos ao saldos e não resisti comprar esta saia de tule, que na verdade já andava há um tempo a namorá-la... A cara da minha sogra quando lhe disse que não era para usar no Carnaval mas sim para ir trabalhar, foi hilariante! Agora tenho que lhe mandar esta fotografia, até porque foi ela que ma ofereceu! A saia é da Jennifer e custou 8€, mas há várias lojas que as têm igualmente baratas e giríssimas! Atrevam-se a brilhar!
As galochas vermelhas da filha foi um amor à primeira vista, ainda olhei para as cor-de-rosa mas achei que estas lhe iam ficar a matar, e não é que ficam mesmo! As galochas são da Mothercare e custaram 12€; o vestido é da Zara e custou exactamente o mesmo! A minha “Little Fashion Girl” estava felicíssima com o modelito e pediu para tirar esta fotografia para mandar à madrinha!
Duas miúdas giras que pouco se importam com aqu…

Previsões astrológicas para 2017...

Eu sou daquelas que lê as previsões astrológicas a cada início do ano, depois esqueço-me durante o resto do ano, mas é verdade que nesta altura vou sempre ler o que os astros me reservam! E vocês, também dão uma espreitadela? Vá, confessem lá que sim, que vão ler as últimas páginas da revista para saber o que vem por aí no novo ano! É que é tipo, “eu não acredito em bruxas, mas que as há, há, por isso mais vale prevenir”.
Sou Aquariana desde que nasci e quase tudo bate certo, não sei bem como eles fazem isto, porque há 500 milhões de Aquarianos no mundo e de certeza que não somos todos iguais (o que era muito aborrecido, porque eu gosto de ser original), mas também é verdade que já me cruzei com alguns bons Aquarianos (escusava de dizer isto, porque já toda a gente sabe que somos bons) e acabamos sempre por chegar à conclusão que temos muitas características em comum...
Quanto a 2017, a coisa promete ser em grande! VIVA! Mas aviso já que vou cobrar e mandar uns emails se isto não se …

Alerta, alerta, mãe a entrar no WC...

Quem mais se revê nesta imagem?
Apesar dos meus filhos terem 10 e 6 anos, ainda hoje tenho de dizer em voz alta que vou à casa de banho e que não quero ser incomodada! Mas adianta alguma coisa? Nãão!!! Porque um segundo depois, ora está ele, ora está ela, a bater-me à porta e a dizer: oh mãe! Nesse mesmo segundo viro bicho feio, tipo Alien a espumar-se todo para cima Sigourney Weaver, ao mesmo tempo que vou dizendo em tom grosso e lento: estou na casa de banho! (coisa que eles obviamente perceberam um segundo antes). Pensam que desistem? Nada disso, ficam do lado de fora a murmurar e a dizer: “nós esperamos”, tão fofinhos!!!! (no pressure mummy)!
É uma coisa que não se entende, porque mesmo que não diga nada, eles parece que têm um sistema de alarme que se activa mal eu entro na casa de banho: Alerta, alerta, mãe a entrar no WC e a fechar a porta!
Isto já para não falar nas vezes que entram os dois ao mesmo tempo e aos gritos, e como se isto não bastasse, deixam a porta da casa de …

E ao 3 dia...

E ao 3 dia, Senhorita Dona Raquel Sampaio acaba com as lamechices de Ano Novo e obriga-nos a voltar à realidade com este texto maravilhoso, que subscrevo e partilho aqui com vocês:
Thou shalt not queixeite nor reclamate
Esta coisa do Ano Novo é muito engraçada. Onde é que te vias há dez anos atrás? Onde achas que vais estar daqui por dez anos? O que fizeste da tua vida? E quando a idade é um número “redondinho” parece que a necessidade de análise ainda é maior. E vai daí, a malta “balança-se” e esmiúça-se e logo ali decide que “agora é que vai ser” embalada por aquela história dos new beginnings. Que new beginnings? Porventura a vida desliga-se no dia 31? Aquilo que fizemos em todos os anos que ficaram para trás deixa de ter significado? Não é essa bagagem que nos define? Que nos leva para o que vem?
Há dez anos atrás eu não me via em lado algum; no dia de hoje não me projeto seja no que for daqui por dez anos. Onde estou é resultado do caminho que segui, das escolhas que fiz (condicion…

12 meses 52 semanas 365 dias

E hoje já estamos no dia 2!
Que tal essa passagem do Ano? Entraram com o pé direito, comeram as 12 passas e beberam champanhe? Ah e a cueca, era azul?
Este ano, só para contrariar as estatísticas dos últimos 3 anos, a nossa passagem do ano foi em Português! Na mesa destes emigrantes lusos não faltou o leitãozinho, o leite creme, o vinho do Porto e o queijo da Serra! Estava tudo tão BOM! Estatísticas e queijos à parte, entrei no Novo Ano com os dois pés bem assentes no chão, meti as 12 passas à boca e só pedi um desejo (como é costume, porque com a confusão esqueço-me sempre de pedir os outros) - “muita saudinha para todos” - que é um cliché, mas o certo é que sem ela a gente não faz nadinha, por isso é preciso renovar os votos ano após ano; como já estava no vinho tinto há umas horas, não quis fazer misturas, por isso o champanhe foi só para o Thcim Tchim; e as cuecas, ah essas, isso foi uma aventura! Andei num virote toda a tarde de sábado (com a mãe e com a sogra) para encontrar um…