Avançar para o conteúdo principal

"Find yourself"....


Ontem li aqui sobre como viver no estrangeiro pode mudar a nossa perspectiva de vida e o que isso contribui para nos conhecermos melhor “you start to find yourself”.

Já aqui escrevi sobre a vida de emigrante e o quanto me custou largar tudo, da mesma forma que digo que não me arrependo de o ter feito. Mas o que a Eduarda escreveu é bem verdade... Não é uma coisa imediata, até porque no início tudo é novidade, mas ao fim de um certo tempo começas a questionar tudo, inclusive o teu lugar no mundo!

No meu caso, a ilha não é um sítio fácil para fazer amigos, até porque muita gente está de passagem, não têm tempo para criar laços, e não há o hábito de convidar os amigos para jantar em casa... se os dois primeiros anos não foram muito fáceis, agora não me posso queixar, pois tive a sorte de me cruzar com outros Portugueses, e alguns Espanhóis, que partilham os mesmos valores de amizade que eu, mas não sou a única a ter esta percepção da ilha e a dizer isto...

Ouvi, recentemente, da boca de uma inglesa, de uma sueca e de um americano (os 3 com experiências internacionais) que Malta foi o único sítio onde não conseguiram fazer amigos e se sentiram muito sós... curioso ouvir isto de pessoas tão diferentes e pensar que eu também já me senti assim...

Para ultrapassar isto foi preciso estar mais disponível e, neste caso, aprender a dizer “sim, vou com muito gosto, e obrigada” em vez do “ai não posso, não me dá muito jeito por causa dos miúdos (tretas, porque eles ficam sempre muito bem entregues ao pai ou à avó, a minha preguiça mental era o único motivo), a verdade é que me sinto muito melhor e sem aquela sensação de “estar sozinha no mundo”...


Foi sem dúvida um processo, não diria longo, mas de muitas perguntas, algumas sem resposta, e um frequente exercício (às vezes frustrante) de “find yourself Cláudia” and "be happy"...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Fim da escola/ vivam as férias (ou não)....

Amanhã acaba o colégio! Amanhã começam as férias grandes! Para muitos pais isto é uma dor de cabeça... nós, mais uma vez, temos a sorte de ter duas avós maravilhosas que tomam conta deles, para grande alegria dos miúdos e das avós e, descanso dos pais.
O mês de Julho ficam na ilha com a avó Zezinha, vão a banhos todos os dias, têm aulas de natação logo pela manhã, brincam como lhes apetece e ficam tão cansados que à noite é vê-los tombar. O mês de Agosto vão a Portugal e ficam à responsabilidade da avó Barbara, adoram lá estar, fartam-se de passear, e na hora da despedida pedem sempre para ficar mais uns dias. Entre uma avó e outra passam 3 semanas com os pais. Depois, pais e filhos descansam uns dos outros, a avó Zezinha recupera as forças, e no início de Setembro voltam à ilha para se prepararem (que depois de 2 meses de boa vida é precisa muita mentalização) para mais um ano escolar, fazem revisões da matéria dada, compram-se os livros e materiais, mas continuam a ir a banhos até …

O que eu gostava mesmo, mesmo...só que não!

Sabem o que eu gostava mesmo, mesmo?
Ser hiper mega organizada e preparar os posts do blog com uma semana de antecedência, e mostrar umas fotos super fashion, e fazer uns posts fofinhos e aparecer em todos os feeds e pumbas, ser a maior!
Só que Não!!
Porque essa não seria eu, porque eu não sou hiper organizada, quanto mais mega, porque mesmo depois de fazer uns workshops (com pessoas super profissionais) para ser mais organizada e aprender a fazer uns posts giros e como devem ser, não faço nada, porque o que eu gosto mesmo é de ser espontânea e postar o que me apetece, às vezes com as fotos tortas, porque mesmo não sendo super fashion eu assumo o meu estilo, porque eu gosto da minha vida tal como ela é, e sou feliz com todas as minhas falhas! O entrevidasecoisas é isto e não faz sentido ser outra coisa!
Obrigada a quem nos segue e aceita tal como somos.
ps - este post por acaso foi escrito ontem, num dos meus momentos de reflexão ao Domingo, mas só saiu hoje porque nos entretantos há …

Vamos falar sobre as minhas unhas dos pés?

Há cerca de um mês recebi mensagem privada, que destas coisas não se fala em público, sobre o facto de andar com as unhas dos pés por pintar enquanto publicava looks do dia e usava as hashtags #fashion e #blogger, aproveito para dizer que as das mãos também andam a maior parte das vezes por pintar, caso não tenha reparado!

Quer-me parecer que pintar ou não as unhas, independentemente do que publico e das hashtags que uso, ainda é algo que só a mim me diz respeito. Ainda... Se fica feio ou não, isso já é outra conversa, e tenho de concordar que tanto os pés como as mãos ficam mais bonitos com as unhas pintadas. Dito isto, e em minha defesa, tenho que acrescentar que o facto de não ter as unhas pintadas não significa que não ande com os pés e com as mãos arranjadas. O mesmo não se poderá dizer de muito pé que circula por aí alegremente de unha pintada, enquanto que o pé, ele próprio, carece de muito cuidado...

Já agora (há sempre um já agora) aproveito também para dizer que é raro pint…