Avançar para o conteúdo principal

10 anos/ 10 years...



Casei há 10 anos!
Saí de minha casa porque não tive coragem de sair de casa dos meus pais sem o meu pai...
Entrei na igreja com o meu irmão mais novo e pedi-lhe que não falasse comigo (sei que ele também não queria que falasse com ele), não me lembro de ver ninguém, a não ser o meu futuro marido no altar, à minha espera... sabia que no momento em que olhasse alguém nos olhos ia desatar a chorar... foi sem dúvida o momento mais difícil do dia... sobretudo porque eu era a menina do papá (literalmente) e porque os dois tínhamos esperado por este dia...
O resto do dia foi bastante divertido e com muita alegria à mistura, e é essa a recordação que tenho do meu casamento!
Acho que fizemos um bom plano de vida, considerando que o casamento é mesmo isso, um plano de vida a longo prazo... às vezes temos de acertar alguns detalhes, outras vezes ceder em alguns pontos, mas o essencial do plano mantém-se, que assim seja por mais 10 anos!

10 years today I got married!
That day I left my house instead of my parents house (as it is traditional in Portugal), mainly because I did not have the courage to do it without my father...
I entered the church with my brother and asked him not to speak to me, I do not remember seeing anyone except my future husband at the altar. I knew if I looked someone in the eyes I would cry, this was the most difficult moment of the day... I was the daddy's girl and not having him on this special day was extremely sad...
The rest of the day was very funny and full of joy and this is the best memory I have from wedding!
I think we made a good plan, considering that marriage is a long-term life plan. Over these 10 years we made some adjustments or we changed some points, but the essence of the plan remains, I hope we can keep it like that for 10 years more!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Fim da escola/ vivam as férias (ou não)....

Amanhã acaba o colégio! Amanhã começam as férias grandes! Para muitos pais isto é uma dor de cabeça... nós, mais uma vez, temos a sorte de ter duas avós maravilhosas que tomam conta deles, para grande alegria dos miúdos e das avós e, descanso dos pais.
O mês de Julho ficam na ilha com a avó Zezinha, vão a banhos todos os dias, têm aulas de natação logo pela manhã, brincam como lhes apetece e ficam tão cansados que à noite é vê-los tombar. O mês de Agosto vão a Portugal e ficam à responsabilidade da avó Barbara, adoram lá estar, fartam-se de passear, e na hora da despedida pedem sempre para ficar mais uns dias. Entre uma avó e outra passam 3 semanas com os pais. Depois, pais e filhos descansam uns dos outros, a avó Zezinha recupera as forças, e no início de Setembro voltam à ilha para se prepararem (que depois de 2 meses de boa vida é precisa muita mentalização) para mais um ano escolar, fazem revisões da matéria dada, compram-se os livros e materiais, mas continuam a ir a banhos até …

Vamos falar sobre as minhas unhas dos pés?

Há cerca de um mês recebi mensagem privada, que destas coisas não se fala em público, sobre o facto de andar com as unhas dos pés por pintar enquanto publicava looks do dia e usava as hashtags #fashion e #blogger, aproveito para dizer que as das mãos também andam a maior parte das vezes por pintar, caso não tenha reparado!

Quer-me parecer que pintar ou não as unhas, independentemente do que publico e das hashtags que uso, ainda é algo que só a mim me diz respeito. Ainda... Se fica feio ou não, isso já é outra conversa, e tenho de concordar que tanto os pés como as mãos ficam mais bonitos com as unhas pintadas. Dito isto, e em minha defesa, tenho que acrescentar que o facto de não ter as unhas pintadas não significa que não ande com os pés e com as mãos arranjadas. O mesmo não se poderá dizer de muito pé que circula por aí alegremente de unha pintada, enquanto que o pé, ele próprio, carece de muito cuidado...

Já agora (há sempre um já agora) aproveito também para dizer que é raro pint…

Eu, uma Portuguesa em Malta...

A semana passada o programa Portugueses pelo Mundo falou sobre os Portugueses em Malta, é triste dizer isto, mas para mim o programa foi uma desilusão...não pelas pessoas que apareceram, até porque só conheço uma (e essa esteve muito bem), mas pela reportagem em si. Malta é muito mais do que aquilo que mostraram ou foi dito...
É verdade que ninguém respeita as filas, é verdade que a alimentação é mais cara, é verdade que por vezes temos a sensação que andámos para trás no tempo, mas também é verdade que as pessoas são muito prestáveis, que é um país seguro para viver, que as praias são maravilhosas e se vive a um ritmo diferente, mais calmo... Mas há muito mais para mostrar de Malta do que o programa mostrou e, se eu não vivesse cá, confesso que não teria ficado com vontade nenhuma de vir conhecer esta ilha plantada no meio do mediterrâneo...
Se querem ficar a saber um bocadinho mais de Malta, cuja a forte presença Portuguesa no século XVIII (tivemos 2 importantes Grão-Mestres, Antón…