Avançar para o conteúdo principal

Às vezes dou comigo a pensar como seria a minha vida sem filhos, até porque ter filhos não estava na minha lista de prioridades em solteira...mas a macaca da vida dá tantas voltas!

Depois de alguns "desamores", decidi que casar não era para mim e que ter filhos era uma coisa a pensar, mas sem grandes pressas (e se pudesse tê-los solteira, melhor ainda). Na altura o meu plano de vida incluía, essencialmente, estudar e viajar! Mas como planos há muitos (é como os chapéus), a vida encarregou-se de me trocar as voltas em meia dúzia de meses (literalmente), e não só casei como tive 2 filhos! A verdade é que em momento nenhum me arrependo das decisões que tomei e de ter alterado os meus planos!

Para ser honesta, não me ocorrem muitas coisas que poderia fazer se não os tivesse, a não ser que a esta altura já teria o doutoramento feito (quando se paga colégio, não se paga propinas) e que passaria grande parte do meu tempo livre a viajar (não me posso queixar da falta de passeio, mas o orçamento é bem mais apertado), ou seja, estaria a cumprir o plano inicial.

E tudo isto porque tenho este sentimento gigante de uma enorme responsabilidade para com os meus dois filhos! E quando se tem uma missão como estas, o medo de falhar é inerente! Tenho medo de falhar e não ser capaz de lhes dar as ferramentas certas para serem adultos felizes. Tenho medo de falhar nas doses (certas) de amor e regras, de ser demasiado permissiva ou demasiado rígida. Tenho medo que este mundo seja demasiado cruel com eles e não lhes dê oportunidade para crescerem felizes e orgulhosos de si mesmos...

Tenho dias que me sinto engolida por estes sentimentos, e dou comigo a pensar e a questionar se o que estou a fazer é bem feito, e se vou ser capaz de contribuir para este mundo com mais dois seres humanos dotados de valores e bondade!

Às vezes ser mãe é uma merda!

Sometimes I think to myself how my life would be without kids! Even more because having kids was not part of my list of priorities when I was single... life takes so many turns!
After a few times heartbroken, I've decided that getting married was not meant for me and I would consider having kids, but without any kind of rush or biological tic tac pressure. By then, my life plan included mainly study and travel. But in 6 months my whole life changed, and suddenly I was a mom and getting married. To be honest, I would not change a bit of this huge life turn! It was the perfect moment!
If I think twice, there aren´t manny things I would do different without them. Perhaps I would have completed my PhD by now (when you pay for private schools, you can´t pay for PhD fees) and I would spend most of my free time traveling (I can´t complain, but it is a fact that the budget is completely different when you are 2 or 4).
And all of these thoughts come to me because I have this huge felling about being responsible for my kids. When you have a mission like this the fear of failing is always present. I am afraid of failing and not being capable of giving them the proper tools to be happy adults. I am afraid of failing in giving them the (right) doses of love or proper rules, of being too lenient or too rigid. I am afraid of this world be too cruel with them and do not give them the opportunity to grow happy and proud of themselves...
Some days I feel swallowed by these feelings, and I find myself wondering and wondering if what I am doing is right, and if I will be able to contribute to this world with two human beings endowed with values and kindness!
Sometimes being a mom sucks!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Fim da escola/ vivam as férias (ou não)....

Amanhã acaba o colégio! Amanhã começam as férias grandes! Para muitos pais isto é uma dor de cabeça... nós, mais uma vez, temos a sorte de ter duas avós maravilhosas que tomam conta deles, para grande alegria dos miúdos e das avós e, descanso dos pais.
O mês de Julho ficam na ilha com a avó Zezinha, vão a banhos todos os dias, têm aulas de natação logo pela manhã, brincam como lhes apetece e ficam tão cansados que à noite é vê-los tombar. O mês de Agosto vão a Portugal e ficam à responsabilidade da avó Barbara, adoram lá estar, fartam-se de passear, e na hora da despedida pedem sempre para ficar mais uns dias. Entre uma avó e outra passam 3 semanas com os pais. Depois, pais e filhos descansam uns dos outros, a avó Zezinha recupera as forças, e no início de Setembro voltam à ilha para se prepararem (que depois de 2 meses de boa vida é precisa muita mentalização) para mais um ano escolar, fazem revisões da matéria dada, compram-se os livros e materiais, mas continuam a ir a banhos até …

O que eu gostava mesmo, mesmo...só que não!

Sabem o que eu gostava mesmo, mesmo?
Ser hiper mega organizada e preparar os posts do blog com uma semana de antecedência, e mostrar umas fotos super fashion, e fazer uns posts fofinhos e aparecer em todos os feeds e pumbas, ser a maior!
Só que Não!!
Porque essa não seria eu, porque eu não sou hiper organizada, quanto mais mega, porque mesmo depois de fazer uns workshops (com pessoas super profissionais) para ser mais organizada e aprender a fazer uns posts giros e como devem ser, não faço nada, porque o que eu gosto mesmo é de ser espontânea e postar o que me apetece, às vezes com as fotos tortas, porque mesmo não sendo super fashion eu assumo o meu estilo, porque eu gosto da minha vida tal como ela é, e sou feliz com todas as minhas falhas! O entrevidasecoisas é isto e não faz sentido ser outra coisa!
Obrigada a quem nos segue e aceita tal como somos.
ps - este post por acaso foi escrito ontem, num dos meus momentos de reflexão ao Domingo, mas só saiu hoje porque nos entretantos há …

Ano Novo "same old life folks"

Então Bom Ano outra vez! Sim, porque hoje a grande maioria volta ao trabalhinho e vai perceber que nada mudou! E desculpem-me a tinhosice logo de manhã e ao dia 2, mas vamos lá ser realistas agora que já passou o efeito do champanhe! E as listas de resoluções e planificações e novas decisões, tudo a postos para fazer o “check list”? (tinhosice outra vez)
Bom, vou deixar-me de ironias e falar a sério sobre isto...

Quanto a vocês não sei, mas para mim a passagem do ano é literalmente isso, passar de um ano para o outro sem grandes mudanças ou novidades, o que eu agradeço, até porque gosto de acordar no dia 1 com os do costume e com tudo no mesmo sítio (vá, alguns copos fora do sítio, a casa mais suja que o habitual, mas isso foi só por causa de mais uma festa). Não adianta fazer 500 mil listas de “ano novo” se durante o resto do ano não cuidarmos de nós, não acarinharmos os que mais gostamos, não tomarmos as rédeas da nossa vida e irmos à luta! Pensem nisto e agora vejam lá se fizeram iss…