Avançar para o conteúdo principal

A liberdade das crianças e/ou a paranóia das mães...

Em “Dia da Liberdade” falo-vos da liberdade das crianças e/ou da paranóia dos pais (neste caso da mãe) e pergunto: Será que as nossas crianças não podem ser livres para brincar sem terem os pais a 10cm delas? Será que as nossas crianças não podem brincar na rua, livres de perguntas e fotografias? Será que os pais estão tão paranóicos que já não deixam as crianças brincarem e correrem sem terem de correr maratonas para os acompanhar?

Não sei se sou eu que estou paranóica ou se foi o mundo que mudou tanto, que nem livres para brincar podemos ser!

No Domingo, sentada numa esplanada com uns amigos dei-me conta que não fui capaz de tirar os olhos das crianças por um segundo, das minhas e das deles, que estavam a brincar a 50m de nós. E quando um grupo de homens parou para ver as bicicletas de aluguer, levantei-me de imediato já suspeita... eles viram as bicicletas, foram-se embora e eu pensei, que triste esta minha atitude!

Mas como o seguro morreu de velho e as notícias são aquilo que todos sabemos, e infelizmente já começam a ser notícia também aqui na ilha, prefiro não arriscar, e sem dar muito nas vistas ir vigiando as brincadeiras...

Mais tarde dei comigo a pensar que quando era miúda brincava na rua até às 11 da noite e que passava tardes inteiras a deambular pelo bairro, sem ter os meus pais atrás de mim; ia para a escola a pé sozinha (e era uma valente caminhada de 15/20 minutos), e aos 14 anos comecei andar de autocarro e comboio sozinha, porque fui estudar para o centro do Porto, e muitas vezes chegava a casa depois das 8 da noite, que em pleno Inverno sabemos que é bem escuro! Nunca tive problemas ou passei por situações esquisitas...

Paranóica ou não, as minhas crianças vão continuar brincar na rua e a sentir que são livres para tal, mas eu estarei (à distância) sempre por perto!


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Oferta de uma sombra de olhos em rosa metalizado!

Querem ganhar esta sombra creme de olhos, rosa metalizado, da marca 3INA (pronuncia-se Mina), que é resistente à água, de longa duração e que vos vai deixar ainda mais bonitas nestas festas natalícias? Vejam em baixo como!
Mas antes deixem-me dizer-vos que a marca 3INA foi criada em 2014 e é inteiramente fabricada na Europa. Esta nova linha de produtos de maquilhagem, para além da garantia de qualidade a preços muito acessíveis, é livre de parabenos e não faz testes em animais. 
Eu estou completamente apaixonada por esta sombra e quero muito partilhar este presente com uma de vocês!


Para participarem só têm que:
1 - Fazer um like neste post no facebook
2 - Seguir o Entre Vidas e Coisas no facebook aqui e no Instagramaqui
3 - Partilharem este post no facebook

Podem participar até ao dia 22 de Dezembro. O vencedor será seleccionado de forma aleatória e anunciado na nossa página do facebook.

Boa sorte!

Fim da escola/ vivam as férias (ou não)....

Amanhã acaba o colégio! Amanhã começam as férias grandes! Para muitos pais isto é uma dor de cabeça... nós, mais uma vez, temos a sorte de ter duas avós maravilhosas que tomam conta deles, para grande alegria dos miúdos e das avós e, descanso dos pais.
O mês de Julho ficam na ilha com a avó Zezinha, vão a banhos todos os dias, têm aulas de natação logo pela manhã, brincam como lhes apetece e ficam tão cansados que à noite é vê-los tombar. O mês de Agosto vão a Portugal e ficam à responsabilidade da avó Barbara, adoram lá estar, fartam-se de passear, e na hora da despedida pedem sempre para ficar mais uns dias. Entre uma avó e outra passam 3 semanas com os pais. Depois, pais e filhos descansam uns dos outros, a avó Zezinha recupera as forças, e no início de Setembro voltam à ilha para se prepararem (que depois de 2 meses de boa vida é precisa muita mentalização) para mais um ano escolar, fazem revisões da matéria dada, compram-se os livros e materiais, mas continuam a ir a banhos até …

Ano Novo "same old life folks"

Então Bom Ano outra vez! Sim, porque hoje a grande maioria volta ao trabalhinho e vai perceber que nada mudou! E desculpem-me a tinhosice logo de manhã e ao dia 2, mas vamos lá ser realistas agora que já passou o efeito do champanhe! E as listas de resoluções e planificações e novas decisões, tudo a postos para fazer o “check list”? (tinhosice outra vez)
Bom, vou deixar-me de ironias e falar a sério sobre isto...

Quanto a vocês não sei, mas para mim a passagem do ano é literalmente isso, passar de um ano para o outro sem grandes mudanças ou novidades, o que eu agradeço, até porque gosto de acordar no dia 1 com os do costume e com tudo no mesmo sítio (vá, alguns copos fora do sítio, a casa mais suja que o habitual, mas isso foi só por causa de mais uma festa). Não adianta fazer 500 mil listas de “ano novo” se durante o resto do ano não cuidarmos de nós, não acarinharmos os que mais gostamos, não tomarmos as rédeas da nossa vida e irmos à luta! Pensem nisto e agora vejam lá se fizeram iss…