Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2017

Vamos a banhos...

Vamos a banhos, por isso não se admirem se as únicas coisas que aparecerem por aqui (durante as próximas semanas) são umas fotos catitas!


Sem explicações ou análises...

Não consegui esperar pelas férias para começar a ler o livro “L'art de la Simplicity” e logo nas primeiras páginas dou de caras com esta frase, que publiquei ontem aqui no blogue:
“an acceptance of whatever life brings, without the constant need to dissect, analyse and explain”
Passamos a vida a dissecar, a analisar e a explicar tudo e todos! Andamos sempre à procura de uma explicação para o comportamento do filho adolescente ou da amiga que nos desiludiu, gostamos de dissecar sobre os perigos da internet e da exposição pública, passamos tempos infinitos a analisar números e estatísticas e esquecemos-nos do essencial, que é viver e apreciar as coisas simples que a vida nos dá!
Não quero com isto dizer que devemos todos viver em modo “love and peace” (até porque já houve quem tentasse e sabemos que não resultou), não! Mas confesso que cada vez mais me preocupo menos em procurar ou ter de dar explicações tipo “teoria do Big Bang em 3 actos”!
Tenho um filho pré-adolescente que me…

E tu és feliz?

Quando perguntas a uma amiga: Estás feliz? E ela responde: Estou não, eu sou feliz!
Durante alguns minutos fiquei a pensar nisto e o quanto é fabuloso ouvir alguém com 45 anos, casada (há um bom par de anos) e mãe de 3 filhos dizer isto com esta espontaneidade e convicção! É claro que também dei comigo a pensar: “e tu, também és capaz de dizer que és feliz assim com esta espontaneidade? Sim, sou, mas como passo alguma parte do meu tempo a queixar-me disto ou daquilo (work in progress) às vezes esqueço-me o quanto sou feliz!
E agora podia escrever toda uma tese sobre isto do “ser feliz”, mas não vou fazer isso até porque cada um tem os seus parâmetros de felicidade e a última coisa que quero é acabar a dizer: “a minha é maior que a tua!”
Contudo (e tamanhos à parte), não posso deixar de dizer que estou convencida que passamos muito tempo a queixar-nos e que isso nos tolda os sentimentos, sobretudo aqueles que nos fazem felizes e, por isso, nem nos damos conta dessa sensação! Sim, po…

Os meus melhores amigos este Verão...

O sol na ilha não é para brincadeiras e todos os cuidados com a pele e com o cabelo são absolutamente necessários! Os meus melhores amigos deste Verão são:
1 - Protector solar Anthelios XL FPS 50+ da La Roche Posay (gel anti-brilho, é maravilhoso) 2 - Protector solar de corpo da linha Sublime Sun 30+ da Lóreal (cheira tão bem) 3 - Protector solar do cabelo da BioPoint (óleo em spray, mas não fica gorduroso) 4 - Creme hidratante de corpo da Cien (este já não é novidade para vocês)

Acabaram-se os lanches/ começaram os lanches...

Yupi! Acabaram-se os lanches da escola! Yupi! Começaram os lanches da praia!
Se durante as aulas tenho de ser criativa em relação aos lanches da escola (que incluem almoço), durante o tempo de férias a criatividade para os lanches da praia mantêm-se ao mais alto nível, sobretudo para não cair na tentação de mandar sandes de fiambre e batatas fritas todos os dias! 
Ficam aqui algumas sugestões do Casal Mistério, que são absolutamente deliciosas! 

Na nossa lancheira não falta a fruta fresca, que sabe tão bem em dias de muito calor, e muita água!

E vocês o que levam para a praia? Querem partilhar algumas ideias?

May the force be with you...

No sábado fomos à festa de uma amiga que está de partida com a família para novas aventuras, mas não é sobre isto que vos vou escrever hoje, até porque isto puxa à lágrima no canto do olho e eu não vos quero estragar a maquilhagem!
Hoje vou falar-vos de como nós, “os 40”, é que sabemos curtir! As festas geralmente começam cedo (não precisamos de esperar pela meia noite para sair de casa até porque até lá adormecemos, por isso mais vale sair cedo), mas acabam tarde e quando digo tarde, digo madrugada fora (esta malta de 40 é uma cambada de românticos e gosta de ver o sol nascer). Bebemos q.b. (eu diria alguns bons litros, mas aguentamos-nos bem até porque já andamos nisto há muito tempo e a resistência é muita), sem cair para o lado e sem partilhar o conteúdo do nosso estômago com os amigos (até porque nos retiramos antes disso acontecer e depois em casa cada um faz o que quer). Dançamos como se tivéssemos 20 anos outra vez, ao som de músicas com quase tantos anos como nós (no dia seg…